Minha tribo 

Pertenço a uma tribo
que por onde passa
leva axé, sorte, alegria,
luz, harmonia e graça.

Quem chorava sorri,
quem apático observava se contagia.
Por onde minha tribo passa
flore o canteiro, pássaro canta todo dia!

Levamos cores,
amores das águas de mamãe Oxum,
o equilíbrio e solidez de Xangô,
a proteção de pai Ogum.

O canto de sorte da Sereira,
a fartura de Oxóssi, a saúde de Obaluaê,
a paz de Oxalá, os bons ventos de Iansã
e a doçura do sorriso dos Erês.

Transformamos energias com Nanã. Salubá! Nanã Burúkê.

Abrem-se os caminhos
por onde minha tribo passa,
vem conosco uma falange de Pretos Velhos
que com amor nos protege e abraça.

Quem vê, sabe que somos da graça o broto
como alecrim, benjoim e alfazema no terreiro.
Caboclo, Marinheiro, Baiano, Boaideiro
e protegidos por Exus contra o mal do zombeteiro.

Por onde minha tribo passa
chove riqueza que não cabe em bolso algum.
E cada gota dessa graça
são lágrimas de orgulho do pai Olorum.

Publicado por Nivartan

Considero-me um observador cuidadoso, otimista racional, de humor volátil, mas que vem trabalhando o amor em todas as suas possibilidades, buscando sempre ser honrado, justo e valente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: