O que cabe no peito

Olho para dentro de mim e encontro
um pedaço de poema, um conto,
a história incompleta de uma vida.
Dentro de mim não há conselho,
apenas reflito diante de um grande espelho
os detalhes que perco de uma história sofrida.

Olho para dentro de mim e não há cor
só o preto e o amargor da dor,
que sonho cessar um dia.
Dentro de mim não há amor,
apenas carne, osso e clamor
que se esvai por completo em poesia.

Olho para dentro de mim e é frio
cada canto, cada esquina, cada desvio,
que só uma bebida forte aquece.
Dentro de mim é um cortante sutil
e eco do que penso me volta no calafrio
da água ardente que me desce.

Olho para dentro de mim e confronto
num pedaço de poema, um conto
esse contexto mórbido e putrefeito.
Dentro de mim é um vazio tão profundo
que não cabe em qualquer lugar do mundo,
mas que cabe todo aqui no meu peito.

Publicado por Nivartan

Considero-me um observador cuidadoso, otimista racional, de humor volátil, mas que vem trabalhando o amor em todas as suas possibilidades, buscando sempre ser honrado, justo e valente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: