Desassossego

A vida unge seus dedos gélidos no bálsamo do amor a fim de me castigar. Passa-os em meus lábios, como se faz com mel a uma criança em seu batismo. Lambuzo-me com migalhas de afagos, de abraços, de carinhos e choro quando, impulsivo e voraz, já não encontro nada além dos ossos.

Não sei mais que gosto tem a paixão e o amor passou a ser distante. Já não sei mais se escrevo dele ou sobre ele. Estou obsoleto. Não sei jogar seus jogos. O contato gera pavor, os olhos nos olhos me desmontam e a timidez me consome. Não entendo. Já nem sei que mentiras uso para me convencer e continuar escrevendo que nada está perdido.

Há anos, estou entalado com um “eu te amo” como um fio de cabelo preso na garganta. Não sou capaz de cuspi-lo, não sou capaz de engoli-lo, e sempre tentando sozinho me resta este maldito pigarro. Dia após dia ele continua a lembrar de minha incompetência.

Tenho me sentido só, é verdade. Nutre-me o tutano da vida e suas voláteis paixões. Beijo a todas as bocas, durmo com todos os corpos em tom de despedida. O primeiro abraço e o beijo, os que dou e os que recebo, já são de saudade. E já me fiz pensar tantas vezes, que convenci-me que é sempre bom demais para ser verdade.

Como poeta, minha alma é vulnerável e minha sede faz mamar em uma débil esperança. Recebo dela o que recebe o filho que mama em uma mãe morta. A caneta pesa e meus dedos têm calos. Entre os intervalos de uma palavra e outra me encontro, no vazio, exatamente em branco, desta folha, e se eu desejar o atrevimento e, por fim, me preencher, uma palavra que seja me erra o texto, uma vírgula me interrompe e um ponto final me finda.

Tenho uma represa de beijos, mãos que seguram buquês, versos de amor soltos, desejos e um pouco mais. Tenho essa discrepância com o amor moderno, não me entendo com o amor antigo e nem sei mais por onde recomeçar. A cada tentativa uma falha, neste campo de batalha minha caneta não quer mais lutar.

Publicado por Nivartan

Considero-me um observador cuidadoso, otimista racional, de humor volátil, mas que vem trabalhando o amor em todas as suas possibilidades, buscando sempre ser honrado, justo e valente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: