A COVID-19 e A Lei da Vibração

Não é de hoje que nosso Planeta anuncia mudanças. Embora possamos elencar vários motivos que justificam o caos atual, como o nosso egoísmo, a antissociabilidade com nossa própria raça (e com os demais habitantes do Planeta) e a ausência ou inversão de valores primários do respeito à vida; esse controle populacional (Obaluaiê/Omulú), essa pandemia, nos força a rever princípios e a nos perguntarmos como tolos cegos: o que faço com o dinheiro (e o material) se para o vírus tem mais valor minha vida?

É difícil não ser atingido pela a onda de pessimismo, afinal, chegam a todo momento mensagens de grupos distintos com o mesmo assunto: COVID-19. O toque do celular mais parece uma corneta fúnebre a embalar um caixão que se dirige ao túmulo. A televisão repete incessantemente as notícias da pandemia. Não se pode e nem se deve sair de casa e o resto vocês já sabem. É importante, é real. E é justamente por isso que meu objetivo não é questionar as medidas da Organização Mundial de Saúde – OMS, mas trazer uma reflexão a vocês: o potencial destrutivo do autoenfeitiçamento.

Conta uma lenda que havia no vilarejo uma casa abandonada e que os habitantes passaram a inventar histórias e a acreditar que ela era mal-assombrada. Quando todos, enfim, passaram a evitar até sua calçada, coisas estranhas começaram a acontecer. Diziam ter visto uma velha e sinistra senhora na janela a observar as pessoas à noite. Ouviam-se ruídos, pancadas e grunhidos. Até que, por fim, alguém ateou fogo na casa com medo do mal que havia nela.

É possível que a casa nunca estivesse de fato assombrada, pois quando várias mentes passaram a acreditar e projetar seus medos, suas angústias, seus temores à casa, logo, a egrégora (força espiritual criada a partir da soma de energias coletivas mentais e emocionais) provocada pelos habitantes do vilarejo pôde, por meio do fluido universal, manifestar sua finalidade fazendo oscilar as luzes, bater as portas, emitir sons iguais a grunhidos, mostrando, neste caso, o poder do inconsciente coletivo.

Não é de hoje que sabemos que tudo está vivo e vibra. O Hermetismo, filosofia e ciência oculta atribuída a Hermes Trimegisto, enumerou 7 princípios básicos que regem todas as coisas. Dentre elas, o seu 3º princípio, a Lei da Vibração.

“Nada está parado, tudo se move, tudo vibra”.

No universo todo movimento é vibratório. O todo se manifesta por esse princípio. Todas as coisas se movimentam e vibram com seu próprio regime de vibração. Nada está em repouso. Das galáxias às partículas sub-atômicas, tudo é movimento.

Todos os objetos materiais são feitos de átomos e a enorme variedade de estruturas moleculares não é rígida ou imóvel, mas oscila de acordo com as temperaturas e com harmonia. A matéria não é passiva ou inerte, como nos pode parecer a nível material, mas cheia de movimento.

Podemos ver essa relação na física ao entendermos como a voz humana pode quebrar uma taça de cristal (claro que o fenômeno é raríssimo, mas ilustra bem). Para isso, as cordas vocais vibram aquecendo o ar produzindo o som. Viajando em ondas, o som encontra a taça que recebe o seu impacto e começa a vibrar. Quando as moléculas do material que compõe a taça entram em ressonância com o som da voz, a taça quebra. Vamos buscar a comparação nesse exemplo físico para entender a Lei da Vibração, assim como diz Hermes, no decorrer desse texto, mas, antes, que tal sentir você mesmo?

Quero que se concentre e pronuncie as palavras a seguir observando como você reage (seu corpo, seu rosto, seu estado de espírito) quando as pronuncia. Repita a primeira e, depois de um tempo de observação, repita a segunda.

Obs. 1:

Amor.

Ódio.

Obs. 2:

Deus.

Diabo.

Obs. 3:

Saúde

Pandemia.

Observe que, ao pronunciar as palavras, cheias de significados, você recebe, de certa forma, o impacto que elas causam. Quando digo “Deus”, e associo ao significado dessa palavra, logo sou invadido por uma sensação de segurança. Quando pronuncio “Diabo”, logo algo em mim, indiretamente, me leva a um pesar. Isso só acontece com “verbos”, que aqui tem um sentido um pouco mais amplo do que aprendemos na gramática. Para Eliphas Levi, no livro Dogma e Ritual da Alta Magia o verbo é a palavra carregada de sentido, de significado e força ofó.

Quando estamos diante de uma pandemia, milhares e milhares de pessoas de diferentes níveis emanam constantemente energias de preocupação, do luto (em alguns casos), da raiva, do rancor, da sensação de injustiça e do medo a partir de seus sentimentos, pensamentos e palavras. Tais sentimentos provocam o mesmo efeito da voz que atinge a taça de cristal, mas, dessa vez, o que se opõe à trajetória dessas vibrações somos nós.

Como a taça de cristal, muitos de nós entramos em ressonância com tais energias densas, alimentando o ciclo de emissão para o Planeta e sentindo os efeitos físicos de sua vibração: irritabilidade, depressão, angústia, pânico, ansiedade. Entretanto, diferente da taça nós, seres humanos, temos o poder de elevar a nossa vibração e não entrar em ressonância com tais egrégoras.

Para isso, é preciso incorporar uma outra postura espiritual, servida de palavras e ações férteis, cheias de significados em nossas vidas. Passamos assim a tomar não só os devidos cuidados previstos pela OMS, mas o cuidado imprescindível com o que pensamos, com o tipo de sentimento que alimentamos em nossas mentes, com o tipo de palavras que proferimos, com o tipo de informação que consumimos, seja em qual canal for. Lembrem-se que um dos grandes iluminados que passou pela Terra deixou-nos claro de que “vós sois deuses” (Salmos 82), e assumir nossa parcela na divindade faz de nós mestres de nós mesmos.

Hoje, evite os efeitos nocivos à mente e a sua vibração fazendo uma higienização. Fique em casa(!), mas leia, assista séries e filmes, ouça músicas, escreva, reze. Quanto mais você elevar a sua vibração, menos estará suscetível à onda mórbida que assola o mundo e bate na porta, independente de quem esteja atrás dela. A oração é uma forma segura de se estar mais perto de Deus.

Publicado por Nivartan

Considero-me um observador cuidadoso, otimista racional, de humor volátil, mas que vem trabalhando o amor em todas as suas possibilidades, buscando sempre ser honrado, justo e valente.

2 comentários em “A COVID-19 e A Lei da Vibração

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: