Foi o quando ele me falou

Devido à rotina, virou costume chegar tarde a casa. Dirigiu-se à estante de mármore e pegou um uísque 12 anos — seu ano favorito. Desconsiderava o fato de ter sido diagnosticado socialmente como hipocondríaco. — Não é verdade. — Pensou enquanto tomava seu décimo comprimido de Benflogim e se servia com uma dose, embalado aoContinuar lendo “Foi o quando ele me falou”

A reflexão da despedida

Repetia em sua mente as palavras de Charles Baudelaire: “É preciso estar sempre embriagado. Eis aí tudo: é a única questão. Para não sentirdes o horrível fardo do Tempo que rompe os vossos ombros e vos inclina para o chão, é preciso embriagar-vos sem trégua.”, e andando vagarosamente, previsto que seu tempo acabou, mudou seuContinuar lendo “A reflexão da despedida”

Os vagões da linha 777

Quando deu por si, estava de pé em uma estação de trem. Seu corpo estava dormente, mas ainda era possível senti-lo. Percebeu que estava ao lado de pessoas de todos os tipos com aquele estranho espectro esbranquiçado que emana a alma humana. Sabia disso porque pôde notar outras vezes quando teve contato com alguns parentesContinuar lendo “Os vagões da linha 777”